Pesquisa da Memed revela o futuro das prescrições digitais

Cem por cento dos profissionais desejam que a receita digital continue após o fim da pandemia. Foto: Divulgação.

A healthtech Memed divulgou uma pesquisa inédita, realizada por sua área de Customer Experience, que revela o futuro das prescrições médicas digitais no Brasil. A pesquisa com médicos foi dividida em duas etapas realizadas em agosto de 2020 e maio de 2021, gerando dados comparativos entre os períodos. Já a pesquisa com farmácias, foi realizada em apenas uma (agosto 2020).

As duas etapas da pesquisa foram produzidas com base nas respostas de médicos usuários da plataforma, com o objetivo de entender o mercado das prescrições digitais, principalmente com o novo cenário originado pela pandemia. Dentre os resultados finais, um dos mais significativos, foi a constatação de que em ambas as etapas 100% dos profissionais desejam que a experiência da receita digital continue após o fim da pandemia.

Jakeline Guzelian. Foto: Divulgação.

De acordo com a head de customer experience da Memed, Jakeline Guzelian, que liderou a produção da pesquisa, esse resultado representa um grande avanço para a área da saúde. “É evidente que o aumento das prescrições médicas digitais ocorreu por conta da liberação em caráter emergencial do uso da telemedicina, no contexto da pandemia. Isso representou um avanço significativo para a área da saúde que tende a ser um pouco mais conservadora quanto a adoção de novas tecnologias, mas que acabou percebendo o impacto positivo que elas podem causar na prática profissional”, explica.

Dentre os respondentes, na primeira etapa, 94% indicaram satisfação na experiência com as receitas digitais. O número manteve-se na segunda etapa, uma vez que 94% dos profissionais de saúde indicaram estar satisfeitos também, havendo crescimento de dez pontos percentuais de “Bom” para “Excelente”, evidenciando consistência satisfatória entre os períodos. Com relação à continuidade do envio das receitas digitais no cenário pós pandemia, em uma escala de probabilidade de 0 a 10, 82% dos médicos atribuíram 9 e 10 para manutenção do envio aos seus pacientes, já na segunda etapa esta mesma pergunta gerou um resultado 87% favorável à continuidade do formato digital.

Para entender a relação das farmácias com as receitas digitais, a Memed também realizou uma pesquisa em agosto de 2020, que contemplou as farmácias cadastradas na plataforma com o objetivo de entender se as drogarias estão dispostas a aceitar a receita digital mesmo após o fim da pandemia. O resultado obtido foi que 93% das farmácias desejam continuar recebendo as receitas digitais neste cenário. Sobre a experiência com as receitas digitais, 90% informaram que ela é boa ou excelente.

Com relação aos formatos de receita que os pacientes têm maior preferência, foi apontado que 54% preferem receber via WhatsApp, 42% Impressa, 36% E-mail, 34% SMS e 11% Manuscrita. “Ouvimos este questionamento e atualmente a Memed já disponibiliza a opção de envio por qualquer um destes canais, deixando a escolha a critério do médico para uma melhor experiência do paciente” explica Jakeline.

Ao serem perguntadas sobre os receituários amarelo e azul, 61% das farmácias afirmaram que gostariam de dispensar os medicamentos destes receituários no formato digital (atualmente estes são os únicos que não podem ser prescritos digitalmente, por determinação da Anvisa).

 

Please follow and like us:
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
cropped-logo-1.png
TecnoInforme. 2021 © Todos os direitos reservados. Design by Renato Garcia
RSS
Follow by Email